Copper Alliance

O Brasil terá 80 mil eletropostos até 2030

De acordo com levantamento efetuado pela CPFL Energia, o Brasil necessitará de 80 mil eletropostos públicos até o ano de 2030 para acompanhar o ritmo de crescimento do mercado de veículos elétricos no país. Esta estimativa foi uma das principais conclusões do projeto de Pesquisa & Desenvolvimento Emotive, que analisou o impacto da mobilidade elétrica para o setor elétrico brasileiro durante cinco anos.

Frente a este cenário, que conta com os 80 mil postos de recarga, e também com uma frota de 2 milhões de carros elétricos puros e híbridos plug-in em circulação, o desenvolvimento de um mercado de recarga aliado à eletropostos rápidos e semi-rápidos acaba sendo um dos principais desafios para a expansão da mobilidade elétrica no Brasil.

Veículos Elétricos Plug-in aumentam a demanda por cobre

A fim de estimular o mercado, a ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica – aprovou, em junho de 2018, a regulamentação para a infraestrutura de recarga de Veículos Elétricos. De acordo com regras pré-definidas, qualquer empresa, pode investir na instalação de eletropostos, eliminando as incertezas regulatórias sobre o tema e incentivando investimentos futuros no mercado.

De acordo com Rafael Lazzaretti, diretor de Inovação e Estratégia da CPFL Energia, a regulamentação estabelecida pela Aneel é a mais adequada para incentivar a expansão da mobilidade elétrica no Brasil.

Conclusões feitas pelo Emotive mostraram que esse é um mercado que possui um grande potencial para formar uma nova cadeia de valor no país. Através da expansão da mobilidade elétrica, novos negócios poderão surgir a fim de atender à demanda dos consumidores.

 

O Projeto Emotive

A CPFL Energia fez um investimento no valor de R$ 17 milhões na construção de um laboratório de tecnologia, para que pudesse desenvolver os seus estudos sobre os Veículos Elétricos e a forte expansão deste segmento.

Para este projeto, 25 eletropostos foram instalados entre Campinas (SP) e Jundiaí (SP), nas Rodovias Anhanguera e Bandeirantes, e em alguns locais privados, para que fossem avaliados os diferentes perfis de uso.

Além dos eletropostos instalados, a CPFL colocou em circulação 14 Veículos Elétricos de diferentes marcas, tecnologias e autonomias, disponibilizados por parceiros do grupo, a fim de testar esta tecnologia em condições reais, e também propagar o tema da mobilidade elétrica pela sociedade. Esta iniciativa também contou com a participação da Unicamp, do CPqD e da Daimon, responsáveis pelos estudos do projeto.

O projeto possibilitou a coleta de dados reais sobre as mais variadas aplicações e implicações da tecnologia,  bem como a verificação dos reais impactos dos veículos elétricos para o setor. Entre os temas avaliados no Emotive, estão o impacto na rede elétrica e no planejamento da expansão do sistema, o uso dos Veículos Elétricos como fonte de geração distribuída, os aprimoramentos regulatórios e legais, o ciclo de vida e reaproveitamento das baterias, o estudo de tarifas e cobrança, a proposição de um modelo de negócios para a mobilidade elétrica no Brasil, entre outros temas.

ICA apresentará as novas tendências dos veículos elétricos durante a Semana CESCO no Chile. #cobreenergia

De acordo com Lazzaretti, “O projeto Emotive foi pioneiro no estudo dos impactos dos veículos elétricos para o setor elétrico brasileiro. A partir dele, a CPFL Energia está preparada para atuar neste novo negócio, que surge no momento em que a tecnologia se tornar uma realidade no País”

 

Fonte extraída e adaptada de :

http://www.energia.sp.gov.br/2018/11/cpfl-energia-preve-80-mil-eletropostos-em-2030/

COMPARTILHAR