Copper Alliance

Será que 2019 é o ano do Cobre?

Devido à sua disponibilidade e condutividade, o cobre é um metal encontrado em inúmeros produtos, desde itens de consumo até automóveis e semicondutores. Em 2018, a demanda global por esse metal ficou em 23,6 milhões de toneladas, e a projeção para 2027 é atingir pouco menos de 30 milhões de toneladas, representando uma taxa média anual de crescimento de 2,6%.

Este crescimento refere-se não somente ao aumento de consumidores, mas também à utilização de energia limpa e renovável, que exige muito mais cobre que a fontes tradicionais de energia.

2018 foi um ano recorde para as energias renováveis

De acordo com um relatório da Bloomberg New Energy Finance (BNEF), as compras corporativas de energia renovável mais que dobraram de 2017 a 2018.

Globalmente as empresas compraram 13,4 gigawatts (GW) no ano passado, em comparação ao recorde registrado em 2017 que foi de 6,1gigawatts.

É esperado que a tendência para as energias renováveis acelere nos próximos anos. Analistas acreditam que, até 2035, a energia renovável será responsável por mais da metade de toda a geração de energia, pois o preço desta será mais baixo que do carvão e da energia gerada a gás.

E ainda tem os veículos elétricos

Os Veículos Elétricos são capazes de consumir de três a quatro vezes a quantidade e cobre que os motores tradicionais de combustão interna.

Neste quesito, a China segue na liderança e provavelmente continuará crescendo por mais algum tempo. De acordo com a Bloomberg, no quarto trimestre do ano passado, a China foi responsável por 60% das vendas globais de veículos elétricos, isto significa que o país detém metade de toda a infraestrutura de carregamento de veículos.

Em aproximadamente dez anos, a China representará quase 40% do total mundial das vendas de veículos elétricos, sendo seguida pela Europa com 26% e EUA com 20%.

Além desta aceleração, a China também elevou a adoção de novos padrões de emissão da “Fase 6” sob seu plano de ação antipoluição “Blue Sky Defense”. Em breve a China começará a proibir a produção de motores a diesel, que são mais poluentes.

Com tamanha demanda de VEs, não é de se espantar que as importações de cobre da China subiram para 479.000 toneladas em janeiro.

Com toda essa mudança e aumento da demanda, realmente 2019 pode ser considerado o ano do cobre.

Veja também:

Cobre: Metal Essencial para as Energias Renováveis

Até 2030, energias renováveis sairão quase de graça.

 

Fonte extraída, traduzida e adaptada de https://www.forbes.com/sites/greatspeculations/2019/02/19/will-2019-be-the-year-of-king-copper/#8fef00a2ba36

COMPARTILHAR